Uma Boate dentro da Igreja!

Acreditem se quiser: há alguns anos atrás fui ministrar numa igreja numa cidade do RJ e me lembro de sentir muita dificuldade durante a ministração porque o peso espiritual era escancaradamente gritante.

Eu me lembro muito bem de fechar os olhos e clamar ao Senhor para que Ele tivesse misericórdia daquele momento.

Era um culto com uma multidão de jovens e todos pulavam muito durante as “músicas rápidas”. Mas, de repente, quando começou a primeira música “lenta”, por incrível que pareça 90% deles se assentou. Como a cena era estranha, resolvi fechar os olhos e clamar pela intervenção de Deus.

“…sem santificação ninguém verá o Senhor”

De repente, no meio da estrofe ouvi uma voz gritando no microfone que me assustou: “Vamo levantá, cambanda! A menina tá aí tentando cantar e vocês todos assentados! Ajuda a menina aí ó! Levanta! Quero ver todo mundo de pé!”.

Para a minha surpresa era o pastor dos jovens que gritava no microfone no meio da estrofe da música que eu cantava.

Se já estava ruim o bastante eles terem se assentado, ficou ainda pior quando se levantaram, pois se levantaram olhando com raiva tanto para o pastor quanto para mim, como se estivessem fazendo um favor para nós ao ficarem de pé!

Achei estranho tudo aquilo acontecendo e Deus deu uma palavra a uma intercessora nossa que estava presente naquela viagem. Porém, antes de falar o que Deus mostrou quero abrir um parêntesis.

LEIA TAMBÉM:
✧ O que é Adoração? E o que ainda não te contaram.
✧ Como fazer mais com menos no Ministério de Louvor (5 Grandes Dicas)
✧ Adoração, a maior razão da nossa existência

Uma boate dentro da igreja

Uma boate dentro da igreja

Sei que hoje em dia vemos muitas vezes o que chamam de “boate gospel”. Não sou contra a dança e não estou querendo levantar polêmicas aqui.

Podem também discordar de mim e dizer que sou radical demais. Mas o que estou contando foi uma experiência que vivi e pude perceber o peso espiritual do que estava acontecendo sem ter ideia do que viria.

Assim que o culto acabou a intercessora me procurou e disse que durante as ministrações Deus a tinha dado uma visão de um lamaçal enorme, como um pântano, uma areia movediça que sugava muitos jovens que não tinham força, fazendo-os afundar cada vez mais!

E Deus dizia ao coração dela que aquela areia movediça era o pecado.

Foi um culto extremamente difícil, mas no final tivemos um pouco de êxito (espiritualmente falando). Tivemos um momento de ministração no altar e pudemos ver algumas vidas bem tocadas, mas eu não havia entendido o que estava acontecendo ali.

Por fim, logo após a ministração, com meu coração partido, fomos convidados pelo pastor a conhecer as dependências do terreno daquela igreja, com tanto recurso financeiro, e com tantas repartições.

“Para o meu espanto, no último momento fomos levados a uma boate – isso mesmo, uma boate dentro da igreja…”

Para o meu espanto, no último momento fomos levados a uma boate – isso mesmo, uma boate dentro da igreja!

A dança em si não é o meu problema e nem mesmo as luzes que ali haviam. O meu problema foi ver no estacionamento do lado de fora, LITERALMENTE, muitas e muitas e muitas dezenas de casais de namorados se beijando assustadoramente, encostados nos carros.

Um lugar todo escuro e sombrio. Achei que estivesse num ambiente mundano!

No centro da boate, uma piscina onde as meninas pulavam com ‘micro biquínis’, tendo tirado a roupa após o culto. E ali era um momento de lazer que não era apenas lazer: comecei a me sentir muito mal e incomodada no meu próprio espírito, porque vi que não havia limites para os apelos carnais.

Aquele não era um ambiente santificado, mesmo sendo dentro das dependências da própria igreja.

Entendi então, o porquê do peso que sentíamos durante as músicas e a pregação.

  • Que a santificação é um princípio básico do cristianismo nós sabemos, mas como fazer os jovens entenderem isso?
  • Como fazer músicos entenderem isso?
  • Quantas e quantas vezes já me pediram ajuda porque estão com dificuldades com músicos que não querem orar, ler a bíblia e muito menos jejuar?
  • Como esperamos que a glória de Deus venha sobre nós se não entendemos que precisamos nos santificar?

Repito: esse é um princípio básico na nossa adoração: “…sem santificação ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).

Deus tenha misericórdia de nós.

Fonte: Raquel Emerick – Ministra de Louvor

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Conheça o curso on-line ‘Fundamentos da Adoração’ desenvolvido pelo Ministério Vineyard.

Curso Fundamentos da Adoração

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo!

FAÇA PARTE NOSSA LISTA VIP

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Adoração Verdadeira - Seja Bem-Vindo

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados – Adoração Verdadeira​ | Termos de Uso • Política de Privacidade