4 Tipos de Adoração Inaceitável

Qual tipo de adoração é inaceitável a Deus? Quais as consequências de adorar a Deus de forma errada? Você acha que pode adorar a Deus de qualquer maneira? E qual adoração é aceitável diante do Senhor? Adoração inaceitável é…

O escritor aos Hebreus diz: “Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor; pois o nosso ‘Deus é fogo consumidor” (Hb 12.28,29 – NVI).

Neste artigo, veremos as 4 tipos de adoração inaceitável ou erradas. Repetidas vezes, Deus julgou aqueles que falharam em adorá-lo corretamente.

Devemos estar atentos ao tipo de adoração que prestamos ao Senhor. Não podemos adorar a Deus de qualquer forma ou de qualquer maneira. Precisamos descobrir o que agrada ao Senhor.

“A essência da depravação humana, está ligado à falsa adoração”

Parece interessante? Então continue lendo este artigo para saber os 4 tipos de adoração que não agradam ao Senhor.

LEIA TAMBÉM:
O QUE É ADORAÇÃO? A JÓIA PERDIDA DA IGREJA ➜
ADORAÇÃO, A MAIOR RAZÃO DA NOSSA EXISTÊNCIA ➜
OS 10 MELHORES LIVROS DE ADORAÇÃO ➜

#01 ADORAÇÃO A FALSOS DEUSES

O primeiro tipo de adoração inaceitável é a adoração a falsos deuses. Não há outro Deus, a não ser o Deus da Bíblia, e ele é zeloso e não tolera a adoração a outro deus.

Em Isaías 48.11, Deus diz: “Não darei a minha glória a nenhum outro”.

Isso é uma repetição de Isaías 42.8: “Eu sou o Senhor; este é o meu nome. Não darei a minha glória a outro, nem o meu louvor às imagens esculpidas”.

Êxodo 34.14 explica: “Porque não adorarás nenhum outro deus; pois o Senhor, cujo nome é Zeloso, é Deus zeloso”.

No entanto, a maior parte do mundo adora deuses falsos. Romanos 1.21 acusa a humanidade inteira por essa tendência.

Paulo escreve: “Porque, mesmo tendo conhecido a Deus, não o glorificaram, nem lhe deram graças” (Rm 1.21). Paulo descreve então a história da degradação da raça humana rumo a formas mais profundas e pecaminosas de falsa adoração.

A essência da depravação humana, tal como Paulo descreve, está ligado à falsa adoração.

Os que se afastam do Deus verdadeiro invariavelmente fazem seus ídolos para adorar.

Paulo resume isso no mínimo possível de palavras: “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e substituíram a glória do Deus incorruptível por imagens semelhantes ao homem corruptível, às aves, aos quadrúpedes e aos répteis” (v. 22-23).

O versículo 24 fala então das consequências amargas de adorar falsos deuses: “É por isso que Deus os entregou à impureza sexual, ao desejo ardente de seus corações, para desonrarem seus corpos entre si”.

O versículo 26 prossegue: “Por isso, Deus os entregou a paixões desonrosas”. O versículo 28 acrescenta: “Foram entregues pelo próprio Deus a uma mentalidade condenável”.

Assim, o resultado da adoração inaceitável ou imprópria é que Deus simplesmente entrega os idólatras ao seu pecado e às suas consequências.

O resultado final dessa adoração inaceitável é que eles enfrentam o julgamento de Deus sem que haja desculpas (Rm 1.32–2.1).

Quando a pessoa rejeita a Deus, ela invariavelmente adora falsos deuses. Falsos deuses podem ser objetos materiais ou imaginários, ou ainda seres sobrenaturais.

#02 ADORAÇÃO AO DEUS VERDADEIRO DA FORMA ERRADA

Um segundo tipo de adoração inaceitável é a adoração ao Deus verdadeiro da forma errada.

Êxodo 32.7,8 registra a resposta de Deus quando os israelitas fizeram o bezerro de ouro para adorar:

“Então o Senhor disse a Moisés: Vai, desce, porque o teu povo, que tiraste da terra do Egito, se corrompeu; depressa se desviou do caminho que lhe ordenei. Fizeram para si um bezerro de fundição, adoraram-no, ofereceram-lhe sacrifícios e disseram: Aí está, ó Israel, o teu deus, que te tirou da terra do Egito”.

Observe que eles estavam prestando homenagem com seus lábios ao Senhor, aquele que os livrara da escravidão egípcia.

Eles acreditavam piamente que estavam adorando o Deus verdadeiro – tinham a intenção de adorá-lo –, mas o haviam reduzido a uma imagem.

“A idolatria não começa com o martelo do escultor; ela começa na mente”

Leia o que Moisés disse aos israelitas em Deuteronômio 4.15-19:

“No dia em que o Senhor lhes falou do meio do fogo em Horebe, vocês não viram forma alguma. Portanto, tenham muito cuidado, para que não se corrompam e não façam para si um ídolo, uma imagem de qualquer forma semelhante a homem ou mulher, ou a qualquer animal da terra ou a qualquer ave que voa no céu, ou a qualquer criatura que se move rente ao chão ou a qualquer peixe que vive nas águas debaixo da terra. E para que, ao erguerem os olhos ao céu e virem o sol, a lua e as estrelas, todos os corpos celestes, vocês não se desviem e se prostrem diante deles, e prestem culto àquilo que o Senhor, o seu Deus, distribuiu a todos os povos debaixo do céu”.

Em outras palavras, quando Deus se revelou aos israelitas como nação, ele não estava personificado em algum forma distinta.

Houve manifestação de sua glória e de seu poder, mas não houve representação tangível ou visível de Deus.

Isto é verdade com relação ao nosso Pai celestial em toda Escritura. Por quê? Porque Deus não quer ser reduzido a uma imagem.

Se você imagina Deus como um velho barbudo sentado num trono, isso é inaceitável, é coisa de hollywood.

A idolatria não começa com o martelo do escultor; ela começa na mente (John MacArthur). Quando pensamos em Deus, o que devemos visualizar? Absolutamente nada!

Nenhum conceito visual de Deus poderia representar adequadamente sua glória eterna. Isso deve-se ao fato de Deus ser descrito como luz. Não é possível fazer uma estátua da luz.

“Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém” — 1 Timóteo 6:16

#03 ADORAÇÃO AO DEUS VERDADEIRO EM UM ESTILO PRÓPRIO

Um terceiro tipo de adoração inaceitável ou irregular é adoração ao Deus verdadeiro em um estilo próprio.

Nadabe e Abiú, filhos de Arão, o sumo sacerdote, ofereceram “fogo estranho” diante do Senhor e a consequência desse ato irresponsável foi a morte.

Foi um dia triste. Depois de ficar a vida toda na expectativa de que eles conduziram as pessoas a adoração, perderam tudo com um movimento em falso no primeiro dia.

Esse é o perigo da adoração inaceitável, você achar que as coisas tem que ser feita do seu modo e não da maneira como Deus ordenou (Leia Levítico 10).

Outro exemplo, são os fariseus que tentavam adorar ao Deus verdadeiro com um sistema próprio, e Jesus lhes disse: “E vós, por que transgredis o mandamento de Deus por causa da vossa tradição?” (Mt 15.3). A adoração deles era abominação, era uma adoração inaceitável.

Os fariseus tinham apenas aparência, mas não essência. O culto deles era hipócrita e não agradava a Deus.

“Este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu…” (Is 29.13).

#04 ADORAÇÃO AO DEUS VERDADEIRO DE FORMA CORRETA, MAS COM ATITUDE ERRADA

Um tipo mais sutil de adoração inaceitável ou falsa é a adoração ao Deus verdadeiro da forma correta, mas com uma atitude errada.

Se eliminarmos todos os falsos deuses, todas as imagens do Deus verdadeiro e todos os modelos com um estilo próprio de adoração, nossa adoração ainda será inaceitável se a atitude do nosso coração não for correta.

Talvez você não adore falsos deuses ou imagens do Deus verdadeiro. E talvez não seja culpado de inventar um estilo de adoração.

Mas, você adora com atitude correta? Se não o faz, sua adoração é inaceitável a Deus.

O seu coração inteiro está na adoração? Quando chega a hora de entregar, você entrega o melhor que tem? Seu interior está cheio de temor e reverência?

Sejamos sinceros: nenhum de nós pode responder a essas perguntas de forma afirmativa sem hesitação ou reserva.

“A maior necessidade da Igreja atual é uma clara compreensão do ensino bíblico sobre adoração”

No capítulo 1º de Malaquias, Deus censura o povo de Israel pela imperfeição de sua adoração. “Ofereceis alimento impuro sobre meu altar”, Deus disse (v. 7).

Eles estavam tratando a questão da adoração com desdém, com irreverência.

Ao oferecer animais cegos, mancos e doentes (v. 8), em vez de trazer o melhor que tinham, estavam demonstrando descaso com seriedade da adoração.

No versículo 10, Deus diz: “Eu não tenho prazer em vós, nem aceitarei vossa oferta”. Deus se recusou aceitar a adoração deles, porque a atitude deles não era correta.

Amós também nos dá uma visão sobre a intensidade do ódio de Deus pela adoração feita com atitude errada. Em Amós 5.21-24, Deus diz:

“Odeio, desprezo as vossas festas, e as vossas assembléias solenes não me exalarão bom cheiro. E ainda que me ofereçais holocaustos, ofertas de alimentos, não me agradarei delas; nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais gordos. Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas. Corra, porém, o juízo como as águas, e a justiça como o ribeiro impetuoso”.

Oséias viu a mesma verdade. Em Oséias 6.4-6 lemos:

“Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque a vossa benignidade é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa. Por isso os abati pelos profetas; pelas palavras da minha boca os matei; e os teus juízos sairão como a luz, Porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos”.

Aquilo tudo era adoração inaceitável, era hipocrisia. As ofertas eram vazias. Assim como muitos nos dias atuais, eles eram culpados de dar a Deus o símbolo, mas não a realidade.

Isaías 1.11-15 traz a mesma mensagem:

“De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue”.

Leia cuidadosamente os profetas menores. As profecias da destruição de Israel e Judá estão relacionadas ao fato de eles não adorarem a Deus com atitude correta.

A maior necessidade da Igreja atual é uma clara compreensão do ensino bíblico sobre adoração.

Quando a igreja falha adorar corretamente, falha em todas as demais áreas.

Grande parte do mundo oferece a falsa adoração ou adoração inaceitável. Por isso, precisamos buscar constantemente uma compreensão bíblica sobre a adoração que agrada a Deus.

Que possamos aprender cada dia mais como adorar em espírito e em verdade.

Pr. Lucas Fernandes
(extraído do livro: Adoração: a prioridade suprema, John MacArthur – Editora Hagnos)

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Conheça o curso on-line ‘Fundamentos da Adoração’ desenvolvido pelo Ministério Vineyard.

Curso Fundamentos da Adoração

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo!

FAÇA PARTE NOSSA LISTA VIP

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Adoração Verdadeira - Seja Bem-Vindo

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados – Adoração Verdadeira​ | Termos de Uso • Política de Privacidade